Jornalistas

Jornalistas e jornalistas

“O jornalista deve ser um combatente, não um expectador”  José Carlos Mariátegui

(…)Sinto uma onda reacionária de jornalistas que atualmente vendem sua força de trabalho às corporações de mídia contra aqueles profissionais que escolheram um caminho diferente.  Para se posicionarem desta forma, esses jornalistas acreditam piamente no mito da imparcialidade. Acham que basta ouvir os dois lados, mas aparentemente não percebem que a vida não é feita em preto e branco. Ou, mais além, parecem não saber que as empresas onde trabalham estão a serviço de um determinado projeto político. Nesse sentido, pode-se dizer sem medo de errar que todo jornalista abraça uma causa, tanto os que escolhem militar num partido político, ONG ou movimento social, quanto aqueles que suam a blusinha para ingressar numa das poucas corporações de mídia. A diferença é o que cada um defende. Num país capitalista, autoritário, machista, racista e brutalmente desigual como o Brasil, as corporações de mídia cumprem um papel fundamental para a manutenção do sistema. Enquanto equipamento de controle social, seu objetivo é reduzir a resistência diante de todas essas formas de opressão. Resistência que geralmente se manifesta através dos movimentos sociais, criminalizados pela mídia corporativa e defendidos pela outra imprensa. Muitas vezes os jornalistas que abraçam a mídia grande não se dão conta deste processo. Como cada vez mais a pauta chega pronta – desde quem pode ser ouvido até o que o ouvido deve dizer, passando pelo fato não desprezível da criteriosa escolha de quem é o “outro lado” autorizado a ser ouvido – esses jornalistas se transformam em autômatos. Toda a formação acadêmica, sobretudo nas áreas de sociologia, filosofia e semiologia vão por água abaixo. Daí William Bonner ter dito que forma uma jornalista em seis meses (melhor teria sido falar em “adestramento”). Diante desta alienação, voluntária ou não, o resultado é que passam a vida como meros expectadores, incapazes de refletir sobre sua própria profissão e sua missão social. O máximo que conseguem é levantar a voz contra os jornalistas que escolheram caminhos diferentes.

Por Marcelo Salles do Fazendo Media

-.-.-.-.-.-.-

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em filosofices, leituras, texto

7 Respostas para “Jornalistas

  1. julianareis

    Oi Pedalante
    tentei acessar a lista da bicicletada-sp mas não consigo fazer minha inscrição… por favor, me ajude!!!
    bj

  2. julianareis

    ops!!! deu certo depois de algumas tentativas…
    valeu
    bj

  3. julianareis

    Oi Pedalante
    valeu as sugestas… vou testar!
    Quanto a lista já encheu a caixa rsrsrsr vou me apresentar por lá… assim qdo for na bicicletada estarei mais integrada…
    Legal o ciclo encontro manda noticias.
    bj

  4. Pingback: Show Jornalismo canalha « Pedalante

  5. Pingback: Ditabranda? « Pedalante

  6. Pingback: 45 anos do golpe militar de 1964 « Pedalante

  7. Pingback: Diletante historiador « Pedalante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s