O cravo vermelho e a Rosa

Capturada no Andar Urbano

Capturada no Andar Urbano

A Flor

Virgínia Rosa

Composição: Fernando Figueiredo

A flor de que era feito o nosso amor
Molho-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Não se quebrou

Oh! flor
Se lhe maltrataram só por mal
Torna-se um translúcido cristal
Se lhe vem com crueldades
Exalta teu perfume pra toda cidade

Oh! flor
Nascida de um peito sem graça e sem jeito
Sem nenhum espinho
Somente carinho e amor

Oh! flor
A flor de que era feito nosso amor
Molhou-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Não se quebrou

Oh! flor
Mesmo em pleno mar de imensa dor
Queime tua chama com fervor
Se a morte a levar na correnteza
Brilhará no céu mais uma nova Estrela
Flor

Mesmo se os anos passarem ciganos
mesmo que os homens esqueçam tua cor
A flor de que era feito o nosso amor
Molhou-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim…
Desabrochou

-.-.-.-.

Deixe um comentário

Arquivado em arte, poesia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s